Concurso do cartaz para o 25º Prêmio Design MCB abre as inscrições
Nos 25 anos da mais tradicional premiação de Design do país, Governo de São Paulo, Secretaria de Estado da Cultura e Museu da Casa Brasileira convidam à criação da sua principal peça de divulgação, o cartaz. Inscrição e regulamento do site www.mcb.org.br.


Aluna do Rio de Janeiro ganha concurso de logo do Google
Maria Luiza Carneiro Faria, de 9 anos, venceu com o desenho Nosso Brasil do Futuro
Uma estudante de nove anos do Rio de Janeiro foi a vencedora do Concurso Doodle 4 Google, que acontece pela primeira vez no Brasil.
Maria Luiza Carneiro de Faria, aluna do colégio Santo Inácio, que fica na capital fluminense, venceu com o desenho ao lado, chamado Nosso Brasil do Futuro.
O Google recebeu milhares de desenhos para o concurso, no qual crianças e adolescentes de seis a 15 anos criaram desenhos em cima do logo do site de buscas, inspirados no tema O Brasil no Futuro.
Além de Maria Luiza, o site selecionou outros dois finalistas, Larissa Fernandes de Souza, de João Pessoa, e Rafael Okino dos Santos, de São Paulo.
O desenho mais votado ficará na home page principal do Google Brasil por um dia, além de ganhar diversos prêmios, como uma bolsa de estudos de R$ 30 mil e um laptop. Para cada desenho recebido, a empresa se compromete a plantar uma muda de árvore, que poderá ser vista usando o Google Earth.
As mudas serão usadas para restaurar aproximadamente 50 hectares de Mata Atlântica nos estados de São Paulo e Paraná.
Segundo o Google, a parceria fará a capacitação de técnicas de restauração com 20 proprietários rurais visando difundir as técnicas e conceitos para aplicá-los em suas propriedades.
Procurada pelo R7, a secretaria da escola onde a menina estuda não sabia que ela havia ganhado o prêmio e se mostrou empolgada ao saber do prêmio que o colégio vai ganhar.
Desenho vencedor


Dilma e eleições no Irã estão entre os assuntos que “bombaram” no Twitter em seus cinco anos
Brasileiros também se revoltaram na rede contra o ator Ashton Kutcher
Twitter registrou assuntos dos mais variados em sua lista de assuntos populares, que começaram a aparecer em uma coluna lateral no perfil dos usuários no segundo semestre de 2008. Antes disso, esse tipo de informação estava disponível apenas em sites independentes
Geralmente, os Trending Topics são um bom termômetro dos assuntos que estão em destaque no mundo, mas segundo o próprio Twitter, não se trata de quantidade. Esses tópicos representam os assuntos mais quentes e emergentes e não apenas o que é mais popular.
Essa explicação foi dada pela própria equipe do site depois que uma polêmica movimentou a rede com rumores de uma possível censura – negada via blog oficial – do site ao termo WikiLeaks. Internautas criticaram o serviço com a justificativa que, mesmo com milhares de pessoas discutirem as revelações feitas pela página criada por Julian Assange, o termo WikiLeaks não aparecia na lista dos tópicos mais “bombados”.
Em seus cinco anos, o Twitter foi usado para organizar protestos populares no Irã, em junho de 2009, e no Egito contra governos denunciados pela web e fora dela como corruptos e com restrições à liberdade de expressão. Usuários do site também repercutiram a vitória de Dilma Rousseff, em novembro de 2010, como a primeira presidenta do Brasil.
Os brasileiros ajudaram a popularizar ainda uma brincadeira com o locutor Galvão Bueno e mandaram milhares de mensagens contra o ator Ashton Kutcher, que comemorou em menos de 140 caracteres um gol dos Estados Unidos contra o Brasil e se deu mal.


N Design no Rio de Janeiro - de 24 a 31 de Julho de 2011
O NDesign é o maior encontro de estudantes de design do país e um dos mais importantes da América Latina.
É uma ferramenta fundamental para ajudar os estudantes a fazerem a escolha certa. A proposta pretende apresentar, sempre da forma mais transparente possível, meios de orientar os estudantes naquilo que eles necessitam. Fazer de maneira que, quem está indo ao N saberá antes mesmo porque está indo, o que irá fazer lá, e como isso o ajudará a crescer como pessoa e como profissional.



Ford consegue suspensão e processa Nissan por anúncio na TV
A subsidiária brasileira da Ford Motor abriu processo criminal contra a diretoria da unidade no País da rival Nissan Motor por veicular um comercial na TV dizendo que a montadora americana cobra demais dos clientes por veículos hatch.
O comercial, que foi retirado da cadeia nacional de televisão em 3 de março após a Ford ter obtido uma liminar, mostra dois rappers vestidos de engenhairos da Ford ostentando o dinheiro obtido graças aos preços altos do modelo Focus. Um Focus prateado aparece ao fundo, enquanto modelos de biquini dançam e tomam champanhe.
"O luxo todo é do dinheiro de vocês", cantam os rappers, mostrando seus anéis de ouro. "Não fica tristinho por pagar 3 mil (reais) a mais, sua grana foi bem gasta, olha só o que a gente faz."
O processo criminal foi aberto na 1ª Delegacia Regional de São José dos Pinhais (PR), cidade em que a Nissan e sua parceira francesa Renault têm uma fábrica conjunta, disseram fontes familiares ao assunto, sob condição de anonimato.
O delegado Osman Feijoo aceitou a abertura do processo, disse um assistente. Feijoo se recusou a comentar o caso, assim como a assessoria de imprensa da Ford.
Uma porta-voz da Nissan em São Paulo não tinha comentários para fazer imediatamente sobre o processo, que acusa a diretoria da Nissan no Brasil de uso indevido da marca Ford e concorrência desleal.
A Nissan tem tido uma postura de marketing mais agressiva nos últimos meses no mercado brasileiro, onde as vendas de automóveis têm batido recordes sucessivos nos últimos quatro anos.
A propaganda da Nissan faz referência ao seu modelo Tiida, que custa R$ 3 mil a menos que o Ford Focus.
A Ford é a quarta maior montadora do Brasil, com market share de 9,4%. A Nissan, de presença relativamente jovem no País, é a 12ª no ranking, com 1,6% do mercado.


Sem alarde, Google lança revista online
Publicação quer abrir espaço para discussão de "grandes questões" que empresas enfrentam hoje.
A Google lançou uma revista trimestral online própria. Chamada "Think Quarterly", a publicação justifica-se afirmando que "num mundo de mudanças aceleradas, todos nós precisamos de tempo para refletir".
A primeira edição da revista, já disponível gratuitamente na Internet, é dedicada a dados, cobrindo temas como obesidade de dados, impotência de dados, sobrecarga de dados e dados abertos.
"A Think Quarterly é uma ferramenta de comunicação singular que reúne algumas das mentes de lideranças globais para discutir as grandes questões que os negócios enfrentam hoje", afirma a revista em sua biografia no Twitter.
O perfil no Twitter informa que a revista foi lançada em 21 de março, mas não há menção da revista no blog da Google, nem nas páginas da empresa no Twitter e no Facebook.
Em um comentário no site da revista, o diretor da Google para as operações da Irlanda e do Reino Unido, Matt Brittin, afirmou que "a Think Quarterly é um espaço para respirar em um mundo ocupado. É um lugar para dar um tempo e pensar no que está acontecendo e por que isso importa".
A razão pela qual a empresa dedicou a primeira edição aos dados foi tentar apontar "entre montanhas de informação, como você pode encontrar as métricas mágicas que ajudarão a transformar seu negócio? Esperamos que você encontre inspiração, insights e mais na Think Quarterly", afirmou.
A próxima edição da "Think Quarterly" estará disponível em maio; a terceira edição, em julho e quarta, em outubro.


Saiba qual é o horário nobre do Twitter
Muitos usuários do Twitter se perguntam quais são os horários de pico no Brasil,
pois todos querem maximizar a divulgação do seu conteúdo. Por isso a equipe do Scup – plataforma de relacionamento via redes sociais do Grupo Direct – passou 1 ano analisando o movimento do Twitter.
A equipe analisou todos os meses de 2010 e todos os horários e divulgou recentemente a pesquisa.
Os horários que possuem mais gente tuitando é entre as 14h até as 17h e entre as 20h até as 22h. Essa informação é bastante semelhante com a quantidade de pessoas ativas na internet durante um dia, com um pico à noite e uma atividade bem inferior pela madrugada.
Apesar da empresa ter divulgado os horários de picos do Twitter, ela afirma que isso não significa que você vai conseguir divulgar melhor o seu conteúdo. Pois existem vários tuites naquele momento, e o usuário pode não prestar atenção no seu. Pois se há mais pessoas online tuitando, quer dizer que aparecem mais novidades na timeline dos seus seguidores, aumentando as chances do seu tuite passar despercebido.
Outra possibilidade é que a maioria dos seus seguidores estejam offline naquele momento, tudo depende do público que você está querendo atingir. Por isso é fundamental conhecer o seu seguidores e planejar uma estratégia de divulgação nas mídias sociais. Dependendo do seu público alvo, você poderia tuitar pela manhã, pois como o movimento é menor, o seu tuite iria ficar mais tempo na timeline dos seus seguidores.
Segundo uma pesquisa realizada pela The Nielsen Company em 2009, o público brasileiro passa em média 4 horas e 33 minutos nas redes sociais. Isso também pode ser analisado junto ao infográfico que a Sculp fez, pois você pode perceber que há uma pequena queda no uso da rede social no horário entre 18h e 19h, no qual pode ser justificada pelas pessoas se deslocando do local de trabalho para casa.
Então antes de se precipitar e tomar uma decisão por causa desse infográfico, conheça o seu público e planeje como vai funcionar a divulgação no Twitter e outras mídias sociais.



Segmento Digital Out of Home cresce 58%
O segmento Digital Out of Home no Brasil registrou crescimento de 58% no faturamento em 2010, segundo o Projeto Inter-Meios."2010 foi um ano especial porque o DOOH foi o meio que mais cresceu isoladamente dentro da categoria Mídia Exterior. Tal fato se deve à profissionalização das empresas, entrada dos grandes grupos e até mesmo ao caminho natural de um novo meio no mercado, assim como outros meios já consolidados, apresentando crescimento mais expressivo até se tornar maduro", declara Fábio Ribeiro, presidente da Associação Brasileira de Mídia Digital Out of Home (ABDOH).
De acordo com pesquisa realizada pela consultoria PQ Media, o faturamento do mercado de mídia digital out of home mundial atingiu a casa dos U$ 7,5 bilhões em 2010.
No Brasil, o setor faturou cerca de R$ 148 milhões, contra R$ 94 mi, em 2009. A previsão para 2011 é de R$ 240 mi.
A movimentação estimulou a presença de grupo de empresários do setor na "Digital Signage Expo", ocorrida entre 22 e 25 de fevereiro em Las Vegas (EUA).
O evento mostrou tecnologias empregadas pelas empresas do setor, a busca por métricas de audiência e o trabalho de inserção da mídia no plano estratégico de agências e anunciantes.
O Brasil foi mencionado por vários palestrantes internacionais, como reconhecimento da importância da evolução do segmento no país. Keith Kelsen, chairman e CEO da 5th Screen e autor do livro "Unleashing the Power of Digital Signage - Content Strategies for the 5th Screen", destacou que o Brasil teve crescimento muito mais rápido que o dos EUA, onde a mídia foi criada.
Tal acontecimento deve-se ao fato de as empresas nacionais identificarem o modelo de negócios e a entrada de grandes grupos de mídia para o setor, fortalecendo a consolidação brasileira.
Usuários de Twitter e Facebook são os que mais passam tempo na Internet
A E.Life, empresa de monitoração e análise de mídias sociais, revelou nesta quinta-feira (24) uma prévia de sua pesquisa sobre os usuários de redes sociais no Brasil. As principais descobertas são quanto ao tempo que esses internautas passam na Internet e como Facebook e LinkedIn têm atraído cada vez mais brasileiros.
Foram ouvidos 945 usuários entre novembro de 2010 e janeiro de 2011. Os questionários foram distribuídos pelas próprias redes sociais – mais de 50 – mas os membros de Facebook e Twitter foram os que mais responderam – apesar de o Orkut ainda ser a mais acessada. Grande parte dos entrevistados tinha entre 19 e 25 anos (47,5%) e mora no Sudeste (49%).
De acordo com o estudo, 42,5% dos usuários de redes sociais passam 41 horas por semana na Internet, o que significa quase 6 horas diárias. Esses “heavy users” são, em sua grande maioria, vinculados ao Facebook (48,5%) ou ao Twitter (47%).
Essas duas redes, por sinal, vêm crescendo em ritmo acelerado no Brasil. Em 2009, quando o mesmo estudo foi feito, 49% dos internautas eram membros do Facebook e 76% do Twitter. Já no final de 2010, esses índices subiram, respectivamente, para 91% e 89%. Já o LinkedIn foi de 22% para 46,5% – fruto também do lançamento de sua versão em português. O Orkut, por outro lado, caiu de 69% para 34%.
Vale lembrar que o resultado na pesquisa não atesta que o Orkut já não é a maior rede social do país. Apenas aponta para uma tendência: sua queda – tal qual já ocorreu na Índia – e a consequente ascensão do microblogging – muito usada para a busca e leitura de notícias, segundo a E.Life - e da empresa de Zuckerberg – cujo principal atrativo está no cultivo de laços afetivos.